requinte + intimista + cosmopolita

Situada em frente a uma praça com perspectiva privilegiada para um bairro residencial e distante do badalado circuito convencional dos restaurantes da orla marítima, o restaurante e doceria Maison Savoir combina culinária cosmopolita com ambientes descontraídos e personalizados em meio a uma ambiência urbana tranquila e de fácil acesso. Após longa pesquisa para conquistar o público, o planejamento do empreendimento abrangeu desde a escolha do lugar para a inserção da arquitetura até o cardápio da gastronomia internacional. Assim, para viabilizar a ideia dos proprietários, era necessário que a arquitetura valorizasse a comida, unindo uma variada opção no cardápio com espaços atraentes para degustação.

Considerando que o espaço existente não atendia à necessidade programática, o desafio foi superado com a segunda reforma de uma casa, já que a primeira teria sido para abrigar uma galeria de lojas em um restaurante. De dois pavimentos com uso residencial independente no pavimento superior, era preciso “driblar” os pilares existentes, sem comprometer a funcionalidade. Assim, os mesmos foram preenchidos com alvenaria na forma elíptica, de modo a atenuar as arestas dentro do salão de mesas.

Os ambientes para degustação se dividem em dois: o externo e o interno. O primeiro, com contemplação para a praça, é constituído de piso de madeira, cadeiras de fibras sintéticas, forro de bambu e iluminação branda, reforçado pela ambientação intimista, que confere o ambiente acolhedor. Já internamente, o contraponto fica por conta dos mobiliários de design conceituado: mesas de Saarinen (1955) e cadeiras DAR com assentos em acrílicos coloridos de Charles e Ray Eames (1948/1950). Espelhos circulares de tamanhos variados, aplicados aleatoriamente sob pintura azul-lilás, confirmam a diferenciação espacial com clima mais contemporâneo. Paineis de vidros transparentes delimitam os espaços externo e interno, permitindo integração e iluminação natural no interior.