concreto + expansão + regionalismo

Na linguagem simples do nordestino, o restaurante Mangai Natal deixa de ser prosa e passa a ser verso de pedra e cal.

Seu repertório formal é espontâneo, mas de tal modo ordenado, que lhe confere unidade, tornando indiscutível sua procedência comum. Materialização do modus vivendi nordestino, traduzido na sua linguagem arquitetural, que dialoga perfeitamente com as refeições servidas, a série de restaurantes Mangai se torna marco ímpar, ao expor de maneira afirmativa quem é o Nordeste, dissolvendo, assim, qualquer carga de preconceito que possa existir. Eles saem do patamar de atividade comercial comum e se passam a exemplo indelével de luta e conquista, eivadas na sensibilidade e na dedicação do povo paraibano.

O seu piso de cimento queimado, sua sombra generosa dos beirais, a cal, os tijolos maciços, o mobiliário rústico e durável, as vestimentas, o design de interiores, enfim, o restaurante como um todo nos transporta para o Nordeste autêntico e real, sem qualquer caricatura.